sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Canto de Feira encerra circulação da Plataforma nas feiras e mercados



O show-intervenção Canto de Feira reúne o grupo Zabumbeiros Cariris, de Juazeiro do Norte, e o multi-instrumentista pernambucano Luciano Brayner, através da Plataforma de Circulação de Artes Cênicas do Ceará.

"O grupo Zabumbeiros Cariris, após passar pela capital, RMF e cidades do litoral leste na circulação do projeto Canto de Feira, que foi selecionado pela Plataforma de Circulação de Artes Cênicas do Ceará, prepara-se para tocar nos lados de cá, nos terreiros de casa. Chegam às feiras de Barbalha, Crato, Araripe e encerram o projeto em Juazeiro do Norte, em plena Romaria das Candeias (dia 02 de fevereiro). Pelo projeto ainda acontece uma ação formativa na cidade do Crato com aula espetáculo “Sons Cariris” direcionada a uma ONG que trabalha com música.

O projeto é uma iniciativa da Fundação Amigos do Theatro José de Alencar, com patrocínio da Petrobras, pelo Mecenato Estadual, da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Ceará (Secult).

O projeto reúne músicos da banda Zabumbeiros Cariris e o multi-instrumentista pernambucano Luciano Brayner, num encontro musical que mescla temas autorais, instrumentais e canções do cancioneiro popular.

O grupo apresenta uma música simples e vigorosa, baseada na sonoridade de instrumentos típicos da região do Cariri. O diálogo se dará através de conversas, causos, poesia, cantos e cantorias dirigidas ao público e transeuntes, que proporcionará reviver a um tempo onde a feira era o centro, o coração do lugar e palco de grandes artistas como Luiz Gonzaga, Cego Oliveira, Patativa do Assaré, passando pelas bandas cabaçais, os violeiros, emboladores, rabequeiros pelas famosas radiadoras e hoje as contemporâneas barracas de 'cds piratas'." (sinopse da divulgação do evento)
____

Plataforma de Circulação de Música e Artes Cênicas no Ceará
Canto de Feira com Zabumbeiros Cariris e Luciano Brayner
Segunda-feira, 02 de fevereiro de 2015, a partir das 10h
Na Romaria das Candeias - Juazeiro do Norte-CE
Saída da Rua São José (Terminal Rodoviário), parada em frente à Casa Museu Padre Cícero, seguindo até a Basílica e subindo a São Pedro até a Praça Padre Cícero.

.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Poesia do zepelim doido



por Amador Ribeiro Neto

Zuca Sardan (Rio de Janeiro, 1933) é arquiteto, diplomata, poeta, ilustrador. Escreveu, entre outros, Ossos do barão, Ás de colete (ambos publicados pela Unicamp), Babylon (Companhia das Letras) e Ximerix (Cosac Naify). Voe no Zeplin (Santa Maria-RS: Maria Papelão Editora, 2014) leva o subtítulo de “Folhetim em sextilhas”.

Zuca Sardan é impagável: vale-se da sátira, mais um mix de referências históricas e linguagens artísticas para produzir uma das poesias mais críticas e inventivas de hoje. Ximerix, que classifiquei como inclassificável, fazendo jus aos trocadilhos e troças do poeta, quase leva o Jabuti e o Telecom de 2014, ficando entre os finalistas.

Em Voe no Zeplin a carnavalização bakhtiniana, mais uma vez, invade a cena. E faz o mundo ficar de cabeça pra baixo. O zepelim, inventado pelo alemão Ferdinand Zeppelin em 1910 aparece sobrevoando o vulcão Cracatoa extinto 27 anos antes. A coerência histórica não interessa quando convivem lado a lado Lady Godiva, Gardel, as Parcas, Caramuru, a loba do Capitólio, Arariboia, Teseu, Salambô, Carmen de Bizet, Crimeia, Lapônia, Carélia, o Pato Sentado (Sitting Duck), os índios Caetés, entre outros.

Na literatura brasileira a sextilha está presente, por exemplo, em “O caçador de esmeraldas”, de Bilac, e em “Sextilhas de Frei Antão”, de Gonçalves Dias, entre outros. Além de muito usada na literatura popular (cordéis, repentes, desafios, etc.) é um modo poético-musical que, em Zuca Sardan, intensifica a construção rápida de imagens. Facilita o voo cinematográfico. Dá asas ao leitor.

As aventuras do caçador de esmeraldas espelham-se nas do Zeplin – às avessas. Ao elogio bilaquiano do progresso e do nativismo, Zuca nos dá um mundo à revelia e sem fronteiras. Gonçalves Dias anota sobre o uso das sextilhas: “adotei por meus a frase e o pensamento antigo, procurando tornar o estilo liso e fácil, que não desagradasse aos ouvidos de hoje”. No aspecto formal a proposta cai bem ao livro de Zuca Sardan. Aqui tudo flui leve, livre e solto. E agrada. Duas intertextualidades curiosas.

Logo no início de Voe no Zeplin o leitor é convidado, num sagaz recurso entre jogo de cassino e poesia de Mallarmé, a fazer o lance de dados e escolher sua poltrona no dirigível: “Pra reservar lugar / Faça dois lances / de dado. Se primeiro / lance der 6, / e segundo der 3, / Assento 63 é o seu”. A sextilha se intitula “Oraklo”.  Atemporalidade a olhos vistos. O leitor deve sentir-se pronto a viajar.

Há um esboço de narrativa envolvendo a lua e o sol, “Porfia de namorados / Sol s’agita mas Lua / abre o manto estrelado / fumegante sorvedouro / donde densos s’exalam / os vapores da Noite”. Em seguida: “Canta triste Sol / ‘Oh Lua de melaço / toma cuidado bundoca / caem estrelas do cosmos / qual na c’roa qual na testa / vai-se-me ralando a careca’”.

Depois a contenda se estende entre Xarlox e Pacifé. Há tiradas geniais de breguice e par de chifres. “E como sacá-los?... / ‘Com saca-rolhas’, / sugere o garçom”. Sem dúvida o jovem Xarlox “precisa s’ilustrar / leia você também o nosso / Manax Kolax Illustrex...”.

Um vate desabafa com o albatroz, como a pedir-lhe ajuda, já que esta ave alimenta-se, basicamente, de insetos: “infestam o Zeplin / morcegos e baratas / kakerlaks a granel”. Kakerlaks, do alemão “kakerlake”, são um tipo de barata. E o livro segue com Minotauro, churrasco e grand finale.
____

Publicado pelo jornal Contraponto, de João Pessoa-PB. Caderno B, coluna “Augusta Poesia”, dia 23 de janeiro de 2015, p. B-7.

Amador Ribeiro Neto é poeta, crítico literário e de música popular. Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Professor do curso de Letras da UFPB.

.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Programação Orient Cinemas Cariri Shopping - de 29/01 a 04/02/2015

Caminhos da Floresta
(Into the Woods, 2014)
Direção: Rob Marshall
Elenco: Meryl Streep, Emily Blunt, Anna Kendrick, Johnny Depp, James Corden, Chris Pine, Lucy Punch, Christine Baranski, Billy Magnussen
Produção: John DeLuca, Rob Marshall, Callum McDougall, Marc Platt
País: EUA
Gênero: Aventura, Comédia, Família, Fantasia
Duração: 125 minutos
Distribuidor: Walt Disney Studios
Classificação etária: 12 anos
Sinopse: Caminhos da Floresta é uma visão moderna dos adorados contos dos irmãos Grimm, cruzando as tramas de algumas histórias e explorando as consequências dos desejos e das buscas dos personagens. Este musical engraçado e emocionante segue os contos clássicos de Cinderela (Anna Kendrick), Chapeuzinho Vermelho (Lilla Crawford), João e o Pé de Feijão (Daniel Hittlestone) e Rapunzel (Mackenzie Mauzy) – todos reunidos em uma história original envolvendo um padeiro e sua esposa (James Corden e Emily Blunt), seu desejo de formar uma família e a interação com a bruxa (Meryl Streep) que os amaldiçoou. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Legendado: 13h40, 18h30, 21h10 (Sala 5)
____


A Entrevista
(The Interview, 2014)
Direção: Evan Goldberg, Seth Rogen
Elenco: James Franco, Seth Rogen, Lizzy Caplan, Randall Park, Diana Bang, Tommy Chang, Charles Rahi Chun, Dominique Lalonde, Timothy Simons
Produção executiva: Kyle Hunter, Miles Levy, Ariel Shaffir, Shawn Williamson
Produção: Evan Goldberg, Seth Rogen, James Weaver
País: Estados Unidos
Gênero: Ação, Comédia
Duração: 112 minutos
Distribuidor: Sony Pictures
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Na comédia de ação A Entrevista (The Interview), Dave Skylark (James Franco) e seu produtor Aaron Rapoport (Seth Rogen) conduzem o popular programa de TV sobre celebridades `Skylark Tonight´. Quando descobrem que o ditador norte-coreano Kim Jong-Un é fã do show, eles marcam uma entrevista com ele na tentativa de conseguirem sua aprovação como jornalistas sérios. Mas quando Dave e Aaron se preparam para viajar à Pyongyang, seus planos mudam no momento em que a CIA os recruta, mesmo sendo os homens mais desqualificados possíveis, para assassinar Kim Jong-Un. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Dublado: 13h20, 15h50, 18h20 (Sala 3)
Legendado: 20h50 (Sala 3)
____


A Mulher de Preto 2: Anjo da Morte
(The Woman in Black 2: Angel of Death, 2014)
Direção: Tom Harper
Elenco: Phoebe Fox, Merryn Pearse, Mary Roscoe, Helen McCrory, Amelia Crouch, Amelia Pidgeon, Casper Allpress, Pip Pearce
Produção executiva: Neil Dunn, Guy East, Roy Lee, Marc Schipper, Nigel Sinclair, Richard Toussaint
Produção: Tobin Armbrust, Ben Holden, Richard Jackson, Simon Oakes
País: Inglaterra, Canadá
Gênero: Drama, Terror, Thriller
Duração: 98 minutos
Distribuidor: Diamond Films
Classificação etária: 14 anos
Sinopse: Em A Mulher de Preto 2 – Anjo da Morte, após a destruidora queda de uma bomba em Londres, durante a Segunda Guerra Mundial, um grupo de crianças é evacuado para o interior da Inglaterra, para ficar em segurança. Elas vão para a Mansão do Pântano – a Eel Marsh House, sob os cuidados da severa governanta Jean (Helen McCrory, de Harry Potter e as Relíquias da Morte, A Invenção de Hugo Cabret) e da jovem e delicada professora do grupo, Eve (Phoebe Fox). O último a chegar ao embarque no trem de Londres é o pequeno Edward (Oaklee Pendergast, de O Impossível), que não fala uma palavra deste que perdeu a mãe no bombardeio. Na viagem, Eve encontra o jovem piloto de guerra Harry (Jeremy Irvine, de Cavalo de Guerra, Agora e Para Sempre) que compartilha com ela o mesmo destino. Ao chegar à mansão, ela fica indignada com o estado abandonado em que se encontra, mas aceitar o abrigo provisório é a única maneira de garantir o futuro das indefesas crianças. Aos poucos, no entanto, os assustadores e inexplicáveis eventos que começam a acontecer na mansão revelam que a presença dos novos hóspedes acordou uma força ainda mais vil e aterradora do que os ataques aéreos à cidade. Eve agora precisa confrontar seus próprios demônios para salvar as crianças e escapar da ira da Mulher de Preto. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Dublado: 14h30, 16h40, 18h50 (Sala 4)
Legendado: 21h (Sala 4)
____


Antes de Dormir
(Before I Go to Sleep, 2013)
Direção: Rowan Joffe
Elenco: Nicole Kidman, Colin Firth, Mark Strong, Anne-Marie Duff, Dean-Charles Chapman, Jing Lusi, Adam Levy, Charlie Gardner, Llewella Gideon, Rosie MacPherson
Produção executiva: Jenny Borgars, Kristina Dubin, Carlo Dusi, Lonnie Ramati, Trevor Short
Produção: Mark Gill, Avi Lerner, Liza Marshall, Matthew O´Toole, Ridley Scott
Países: Inglaterra, EUA
Gênero: Suspense, Thriller
Duração: 92 minutos
Distribuidor: California Filmes
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Todas as manhãs, Christine acorda sem saber onde está. Suas memórias desaparecem todas as vezes que ela dorme. Seu marido, Ben, é um estranho. Todos os dias ele tem de recontar a vida deles e o misterioso acidente que fez com que Christine tivesse amnésia. Encorajada por um médico, ela começa a escrever um diário para ajudá-la a reconstruir suas memórias, mas ela acaba descobrindo que a única pessoa em quem confia, talvez esteja contando apenas parte da história. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Legendado: 21h40* (Sala 1)
* Somente sexta, sábado e véspera de feriado
____


Busca Implacável 3
(Taken 3, 2014)
Direção: Olivier Megaton
Elenco: Liam Neeson, Maggie Grace, Famke Janssen, Forest Whitaker, Dougray Scott, Jonny Weston, Sam Spruell, Leland Orser, Jon Gries, Judi Beecher
Produção: Luc Besson
País: França
Gênero: Ação, Thriller
Duração: 109 minutos
Distribuidor: 20th Century Fox
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Liam Neeson retorna ao papel de Bryan Mills, ex-agente da CIA, cuja reconciliação com sua ex-mulher é interrompida quando ela é brutalmente assassinada. Consumido pela raiva, e considerado o responsável pelo crime, ele foge da procura implacável da CIA, do FBI e da polícia. Pela última vez, Mills deve usar `suas habilidades especiais´ para encontrar os verdadeiros assassinos, fazer justiça com as próprias mãos, e proteger a única coisa que importa para ele agora – sua filha. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Dublado: 13h, 15h30, 18h (Sala 2)
Legendado: 20h30 (Sala 2)
____


Loucas pra Casar
(Loucas pra Casar, 2013)
Direção: Roberto Santucci
Elenco: Ingrid Guimarães, Tata Werneck, Marcio Garcia, Suzana Pires, Fabiana Karla, Edmilson Filho, Guida Viana, Camilla Amado, Alice Borges, Charles Paraventi, Rogério Fróes
Produção executiva: Adriana Konig, Leonardo Edde
País: Brasil
Gênero: Comédia
Duração: 100 minutos
Distribuidor: Downtown/Paris
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Malu (Ingrid Guimarães), Lúcia (Suzana Pires) e Maria (Tatá Werneck) encontraram o homem ideal e planejam se casar. Até que elas descobrem que esse homem, na verdade, é o mesmo: Samuel (Márcio Garcia), que vinha mantendo um namoro com todas elas nos últimos anos. As três terão que decidir se vão disputar entre si pela exclusividade ou unir-se pela vingança. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Filme nacional: 14h, 16h30, 19h, 21h30 (Sala 6)
____


Os Pinguins de Madagascar
(The Penguins of Madagascar, 2014)
Direção: Simon J. Smith
Elenco: Vozes de: Ben Stiller, Jada Pinkett Smith, David Schwimmer, Chris Rock
Produção: Lara Breay, Tripp Hudson
País: EUA
Gênero: Ação, Animação
Duração: 92 minutos
Distribuidor: 20th Century Fox
Classificação indicativa: livre
Sinopse: Em Pinguins de Madagascar, o público vai descobrir os segredos dos mais adoráveis e misteriosos pinguins do mundo da espionagem. Capitão, Kowalski, Rico e Recruta vão ter que juntar forças com uma agência de espiões, a Vento do Norte, liderada pelo Agente Secreto (a gente até podia contar o nome dele, mas aí... você sabe) para impedir que o vilão Dr. Otavius Brine consiga dominar o mundo. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Dublado: 13h10, 15h10, 17h20, 19h30 (Sala 1)
____


Uma Noite no Museu 3 - O Segredo da Tumba
(Night at the Museum: Secret of the Tomb, 2014)
Direção: Shawn Levy
Elenco: Ben Stiller, Rebel Wilson, Ben Kingsley, Robin Williams, Owen Wilson, Ricky Gervais, Dan Stevens
Produção executiva: Josh McLaglen, Mary McLaglen
Produção: Chris Columbus, Shawn Levy
País: Estados Unidos
Gênero: Aventura, Comédia, Família
Duração: 97 minutos
Distribuidor: 20th Century Fox
Classificação etária: livre
Sinopse: Prepare-se para a noite mais louca e mais aventureira já passada em um museu quando Larry (Ben Stiller) une seus já conhecidos personagens com novas figuras ao embarcar em uma épica jornada para salvar a magia antes que ela esteja perdida para sempre. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Dublado: 16h20 (Sala 5)
_____________________


Ingresso:
Valores Inteiros (exceto Sala 3D Digital):
Segunda, terça e quarta (exceto feriado e véspera de feriado): R$11,00 (o dia todo)
De quinta a domingo (e feriado): R$ 15,00

Valores Inteiros para a Sala 3D Digital:
Segunda, terça e quarta (exceto feriado e véspera de feriado): R$15,00 (o dia todo)
De quinta a domingo (e feriado): R$20,00.

No Cinema do Cariri Garden Shopping (Juazeiro do Norte-CE)
Site Orient Cinemas: http://www.orientcinemas.com.br/

Programação sujeita a alterações.

.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

A poesia dos mestres



por Amador Ribeiro Neto

Enquanto leio a produção poética contemporânea brasileira estou sempre relendo os poetas canônicos. Hoje quero falar de três modernistas: Bandeira, Mário e Oswald. E de três contemporâneos: Drummond, Cabral e Augusto.

Bandeira surpreende pelo inusitado do cotidiano. Ele o vê tão de perto que nem parece realidade. Parece coisa de cinema. Ou cena de teatro. Tudo ali, à nossa frente. Na integridade de sua nudez mais coloquial. Sua musicalidade, aliada da entoação usual, resgata a fala do povo, como sempre desejou T.S. Eliot. E cria imagens sublimes da mais pura poesia. Ler Bandeira é ouvir a voz da criança, dos amantes e dos desvalidos. Tudo em sua poesia se torna ouro de mina.

Mário de Andrade retrata a alma do caipira e a do homem das cidades com uma verticalidade que revela o quão pouco, nós brasileiros, nos conhecemos. Sua apropriação do modo de falar do brasileiro, quer na semântica, na sintaxe ou na inflexão melódica, desalojou a poesia empolada que, em grande parte, ainda tomava conta do cenário poético. Ele foi um demolidor do império dos sentidos exacerbados. Depois dele ninguém mais pôde fazer poesia com sabor parnasiano. Mas fez-se muita. E ainda se faz. O que revela, por parte destes ditos poetas, anacronismo estético e cultural.

Oswald, com seus poemas-valise, poemas-pílula, poemas-piada tirou o tapete de seriedade bem comportadinha. Ele invadiu a Carta de Caminha e desentranhou dela poemas antológicos. Pegou a antropofagia de nossos índios e a alçou ao grau de uma estética filosófica. Releu a história da nossa colonização esculhambando tudo que merecia ser implodido. Até hoje é um demolidor de mentes estanques.

Drummond, que não participou da Semana de 22, mas soube herdar dela o melhor, dispõe a vida em peças expostas tão ao sol e à luz que parecem de cristal, ao invés de barro. Seu humor corrosivo, sua lírica contida, seu senso de realidade social espelham um leque do homem brasileiro, e do homem de todas as geografias, criando um universo exemplar do que de melhor se produziu no país. Com sua marca definida, acabou deixando herdeiros de meia pataca. Aos montes. Mas o mais importante é a sua obra. Singular. Única. Que mexe e remexe com o leitor. Em qualquer época. Ou lugar.

João Cabral revolve a matéria com tanta força e gana que nem parece que uma construção rigorosamente organizada dos versos e da poesia está presente ali. Seu apego à forma entrelaça-se a uma consciência de mundo social e artístico, num contínuo jogo de interdisciplinaridades e intertextualidades sígnicas e históricas. A palavra é tomada na sua materialidade mais concreta e palpável. A rima camufla-se nas vogais tônicas. A imagem condensa-se em tomadas microcinematográficas. Tudo é parcimônia. E beleza.

Augusto de Campos toma a palavra como matéria e a faz concreta ou maleável, conformando-a a seus quereres. Que são muitos ao longos de seis décadas de poesia. Augusto ensinou os poetas do mundo todo a trabalhar a palavra com rigor e sensibilidade, como coisas complementares. Um poeta digital “avant la lettre”. Ainda hoje sua poesia é negação da facilidade.
____

Publicado pelo jornal Correio das Artes, suplemento cultural do jornal A União, de João Pessoa, que circulou dia 28 de dezembro de 2014, com data dezembro/2014. Ano LXV, nº 10, p. 42.

Amador Ribeiro Neto é poeta, crítico literário e de música popular. Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Professor do curso de Letras da UFPB.

.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Cine Fest - O Excesso Continua: festa no sábado em Juazeiro do Norte



Cine Fest - O Excesso Continua
Mostra 21 - O Desejo Aguça com o Olhar
Com os DJs:
Diego Linard, Iago Marinho, Fê Marques e Deh Lirium
Sábado, 31 de janeiro de 2015, 22h
No Teatro Marquise Branca (Juazeiro do Norte-CE)
Ingressos antecipados na Loja Bunny's (Cariri Garden Shopping).

.

Crato: Estacionamento da Música com Vander Lee e Tunai & Wagner Tiso



Tunai & Wagner Tiso - "Saudade de Elis"
"Das grandes referências musicais que tenho, Elis Regina, Milton 'The Voice' Nascimento e The Beatles foram as que mais me marcaram. A primeira vez que ouvi Milton, Edu Lobo, Gilberto Gil, Baden Powell, Tom Jobim, Ivan Lins, entre outros grandes artistas, foi na voz de Elis." (Tunai)

Vander Lee - Loa
"O cantor e compositor Vander Lee lança Loa, seu oitavo disco. Na turnê de lançamento, Vander Lee leva para o palco a sonoridade de Loa, tanto no repertório de inéditas autorais, caso de 'Tu' e 'Siga em paz', como em algumas releituras de suas consagradas composições como 'Românticos', 'Contra o tempo', 'Eu e Ela' e 'Esperando Aviões', entre outras surpresas."
____

Estacionamento da Música com:
Vander Lee - Show "Loa"
Tunai & Wagner Tiso - Show "Saudades da Elis"
Quinta-feira, 29 de janeiro de 2015, 20h
No SESC Crato-CE
Ingressos:
Comerciário - R$5,00 + 2kg de alimento
Estudante - R$5,00 + 2kg de alimento
Usuário - R$10,00 + 2kg de alimento
Os ingressos já podem ser adquiridos no SAC do SESC Crato (horário comercial)

Importante: Para adquirir o ingresso na categoria Comerciário, trazer a carteira do Sesc no ato da compra e no dia do show. Para adquirir o ingresso na categoria estudante trazer carteirinha atualizada no ato da compra e no dia do show. Só será trocado um ingresso por pessoa. Ingressos de "comerciário" serão intransferíveis.

+ info.: (88) 3586.9163.

.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Programação da 3ª semana da Mostra 21 - O Desejo Aguça com o Olhar



Mostra 21 - O Desejo Aguça com o Olhar
De 12 de janeiro a 01 de fevereiro de 2015

Programação da terceira semana (de 26 de janeiro a 01 de fevereiro de 2015)
Entrada gratuita.
____


26 de janeiro de 2015 (seg), 19h, SESC Crato:
BEM AMADAS (Les bien-aimés, Dir. Christophe Honoré, França/Reino Unido/República Tcheca, 2011, 139min)

Madeleine e Vera, mãe e filha, são duas mulheres que vagueiam sobre o relacionamento delas com os homens que aparecem em suas vidas, tentando responder a questão de como resistir à passagem do tempo e ainda ter que lidar com os mais profundos sentimentos.


27 de janeiro (ter), 19h, SESC Crato:
FAUSTO (Faust, Dir. Aleksandr Sokurov, Rússia, 2011, 144min)

Fausto é um pensador, um rebelde e um pioneiro, mas também um ser humano anônimo feito de carne e sangue governado por impulsos internos, cobiça e luxúria. Livremente inspirado pelo Fausto de Goethe.


28 de janeiro (qua), 14h, SESC Juazeiro do Norte:
HOLY MOTORS (Holy Motors, Dir. Leos Carax, Alemanha/França, 2012, 115min)

A história de um homem que muda constantemente, adquirindo milhares de identidades e personalidades.


28 de janeiro (qua), 19h, SESC Juazeiro do Norte:
AZUL É A COR MAIS QUENTE (La vie d'Adèle, Dir. Abdellatif Kechiche, França, 2013, 179min)

Adèle é uma garota de 15 anos que descobre, na cor azul dos cabelos de Emma, sua primeira paixão por outra mulher.


29 de janeiro (qui):
Não haverá sessão. Exibição do filme Uma Primavera Com a Minha Mãe transferida para o domingo (01/fev), 16h. Conferir no final desta programação.


30 de janeiro (sex), 19h, SESC Crato:
DENTRO DA CASA (Dans la maison, Dir. François Ozon, 2012, 105min)

Estudante de 16 anos registra suas impressões sobre a casa de um colega de classe em uma redação para seu professor de Literatura.


31 de janeiro (sáb), 13h30, CCBNB Cariri:
Sessão encoberta: apenas na hora da exibição o filme será revelado.
Os 20 primeiros espectadores ganham o direito de permanecer na sala para a sessão seguinte.


31 de janeiro (sáb), 17h30, CCBNB Cariri:
LOLITA (Lolita, Dir. Stanley Kubrick, Reino Unido, 1962, 152min)

A história de um professor britânico de meia-idade que vai morar nos EUA e aluga um quarto na casa de uma viúva extremamente carente, mãe de Lolita, uma linda adolescente por quem ele se apaixona perdidamente à primeira vista.


01 de fevereiro (qui), 16h, SESC Crato:
UMA PRIMAVERA COM A MINHA MÃE (Quelques heures de printemps, Dir. Stéphane Brizé, 2012, 93min)

Aos 48 anos de idade, Alain Evrard tem que voltar a morar com sua mãe. A convivência forçada traz de volta toda a violência de seu relacionamento passado.


01 de fevereiro (dom), 19h, SESC Crato:
TATUAGEM (Tatuagem, Dir. Hilton Lacerda, 2013, 113min)

Brasil, 1978. A ditadura militar, ainda atuante, mostra sinais de esgotamento. Em um teatro/cabaré, localizado na periferia entre duas cidades do Nordeste do Brasil, um grupo de artistas provoca o poder e a moral estabelecida com seus espetáculos e interferências públicas.

.

Puseram glitter na romaria

por Alana Morais

O curta-metragem Também Sou Teu Povo (2006) é uma produção dirigida por Franklin Lacerda e Orlando Pereira, que traz para o cenário audiovisual do Cariri uma discussão girando em torno do sagrado e do profano, representados pelos religiosos afilhados do “Padim” e as marginalizadas travestis.

O curta convida o espectador a mergulhar nas imagens e narrativas que retratam a devoção dos fiéis no apelo e peregrinação recorrente nas romarias. Tais peregrinações são famosas por atraírem devotos de diversas localidades do Nordeste. Estas mesmas imagens e discursos são entrecortados pela figura da travesti que se monta para desfrutar o lado não-religioso da festa santa.

Neste emaranhado, revela-se o universo invisível das travestis. Ao se apropriar de uma expressão feminina, elas transgridem as normas conservadoras e religiosas que alimentam as mais diversas práticas preconceituosas. Contado a partir de recursos como trechos de reportagens, entrecruzadas por canções religiosas, Também Sou Teu Povo encarna a estética marginal das ruas e becos desertos de Juazeiro do Norte no contexto das romarias. 

A produção é a primeira experiência audiovisual do Cariri que aborda o tema da travestilidade em meio à fervorosa cultura religiosa da região.
____


Alana Morais: atriz, produtora cultural e assistente social (atua na área de habitação de interesse social). Integra o grupo de pesquisa GEMI (Gênero e Mídia). Como atriz além do teatro participou de dois vídeos-poemas: “Foradesordem” (2011) e “Busca Alguma” (2013), e desde então passou a ter como hobby fazer vídeo-poema (registrado apenas para arquivo pessoal).

Texto originalmente publicado na SÉTIMA: Revista de Cinema (edição 16, de 12 de fevereiro de 2014), que é distribuída gratuitamente na Região do Cariri cearense. A Revista Sétima é uma publicação do Grupo de Estudos Sétima de Cinema, que se reúne semanalmente no SESC de Juazeiro do Norte-CE.

.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Festival Cordas Ágio - IV Edição, na Sociedade Lírica do Belmonte



"Tendo como principal missão a formação humana e a ascensão social dos moradores daquela comunidade, a SOLIBEL desenvolve diversas ações articuladas com outras entidades e instituições da região para compartilhar, propagar, divulgar e popularizar tanto a música erudita e instrumental quanto os resultados do trabalho em educação musical que vem sendo desenvolvido com êxito há mais de quatro décadas na comunidade.

Uma dessas ações tem sido a realização do Festival Cordas Ágio, que teve sua primeira edição em 2012, na Sociedade Lírica do Belmonte, no município do Crato. E posteriormente a segunda e terceira edição. Em sua IV edição o Festival busca renovar e reafirmar para os novos músicos e musicistas que a música, uma das artes mais antigas, possui suma importância para a transformação e elevação do ser humano, principalmente no tocante a contribuir com a sua formação integral e cidadã." (sinopse da divulgação do evento)

Festival Cordas Ágio - IV Edição
De 24 a 31 de janeiro de 2015
Local e Realização: Sociedade Lírica do Belmonte - SOLIBEL (Crato-CE).

.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Sábado com show da Banda Nazirê e Banda Cassine no Crato



Shows: Banda Nazirê e Banda Cassine
Sábado, 24 de janeiro de 2015, 22h
No Casarão Boteco (Crato-CE)
Ingresso (segundo lote): R$15,00
Ingressos na Loja Bugulu e no Casarão.

.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Poesia do esqueite



por Amador Ribeiro Neto

Certa feita João Cabral declarou que “duas atitudes, uma objetiva e outra subjetiva” norteiam os poetas modernos: “a necessidade de captar mais completamente os matizes sutis, cambiantes, inefáveis de sua expressão pessoal” e “o desejo de apreender melhor as ressonâncias das múltiplas e complexas aparências da vida moderna”.

Ao ler grande parte da poesia produzida hoje indago-me se o poeta ainda assinaria esta distinção. Sim, porque para ele, em ambas, há uma busca consciente do “espírito de pesquisa formal”. E o que constatamos hoje, com raríssimas exceções, é um amontoado de manifestações irresponsáveis e inconsequentes. Qualquer trocadilho, qualquer expressão espontânea, qualquer conjunto de anáforas é tomado como poesia.

É preciso ter claro: poesia não se confunde com massificação de expressão. Não é comunicação barata. O poeta, sem compromisso com o mercado, deslinda-se em aventuras no mundo dos experimentos, sempre em busca da melhor expressividade. Não importa que isto custe-lhe anos de pesquisa e espera. Poesia não tem tempo. Melhor: requer todo o tempo do mundo para ser devidamente feita e apreciada.

Paulo Scott (Porto Alegre, 1966) é poeta, contista, romancista, ex-advogado e ex-esqueitista. Seus livros de poesia: Histórias curtas para domesticar as paixões dos anjos e atenuar os sofrimentos dos monstros (2001), A timidez do monstro (2006), O monstro e o minotauro (2010) e Mesmo sem dinheiro comprei um esqueite novo (São Paulo: Companhia das Letras, 2014). Este, vencedor do prêmio APCA de poesia 2014.

Duas coisas incompreensíveis para um leitor de poesia: o prêmio APCA e as orelhas de seu mais recente livro, assinadas por Paulo Henriques Britto. Num ano de tantos livros de qualidade, a premiação de Paulo Scott é um nó górdio. Inexplicável para quem toma a poesia como produto de linguagem. E não meramente produto para o sucesso do mercado editorial.

Outra coisa: nada justifica isto: “Neste livro, Paulo Scott deixa bem claro ter plena consciência do que se exige de sua geração, surgida num momento em que, pela primeira vez, após bem mais de meio século, cada poeta tem de construir sua própria linguagem a partir de um legado diversificado e acachapante, sem as rotas de percurso alternativas que balizaram, para o bem e para o mal, aqueles que o antecederam. É esse o desafio que ele enfrenta, com segurança”.

Depois de ler o que nos lembra João Cabral, Paulo Henriques Britto faz tempestade em copo d’ água. Por pouco. Por quase nada. Afinal, Paulo Scott não convence. Patina na mesmice da poesia neomarginal. Considere “Talvez uma carta”, do poema que abre o livro: “preciso anotar que nunca / se está velho demais / preciso reencontrar a boa forma // estamos hipnotizados / querendo ser djs e radialistas / dramaturgos e cineastas // nós deveríamos ser a esperança / - que geração ridícula esta / que jurou jamais prometer / o que não pudesse cumprir”.

Aqui e ali escapa um poema menos óbvio, vazado pela ironia. “Exaustão sete”: “primeira turma de musculação / quinze pras sete da manhã // estranho e pontual, cumprimenta / as senhoras // usa os aparelhos / que estão mais perto das janelas // uma delas sorri / outras avisam que trocarão de horário // durante os abdominais ele adormece”.

Como vê, leitor, a poesia de Paulo Scott pede boa vontade. Paciência.
____

Publicado pelo jornal Contraponto, de João Pessoa-PB. Caderno B, coluna “Augusta Poesia”, dia 16 de janeiro de 2015, p. B-7.

Amador Ribeiro Neto é poeta, crítico literário e de música popular. Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Professor do curso de Letras da UFPB.

.

Banda The Clivis toca Pop Rock nacional e internacional no Crato



Show com a Banda The Clivis
40 anos de Rock - Pop Rock Nacional e Internacional
Sexta-feira, 23 de janeiro de 2015, 22h
No Casarão Boteco (Pimenta - Crato-CE)
Couvert artístico: R$4,00.

.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Programação Orient Cinemas Cariri Shopping - de 22/01 a 28/01/2015

Antes de Dormir
(Before I Go to Sleep, 2013)
Direção: Rowan Joffe
Elenco: Nicole Kidman, Colin Firth, Mark Strong, Anne-Marie Duff, Dean-Charles Chapman, Jing Lusi, Adam Levy, Charlie Gardner, Llewella Gideon, Rosie MacPherson
Produção executiva: Jenny Borgars, Kristina Dubin, Carlo Dusi, Lonnie Ramati, Trevor Short
Produção: Mark Gill, Avi Lerner, Liza Marshall, Matthew O´Toole, Ridley Scott
Países: Inglaterra, EUA
Gênero: Suspense, Thriller
Duração: 92 minutos
Distribuidor: California Filmes
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Todas as manhãs, Christine acorda sem saber onde está. Suas memórias desaparecem todas as vezes que ela dorme. Seu marido, Ben, é um estranho. Todos os dias ele tem de recontar a vida deles e o misterioso acidente que fez com que Christine tivesse amnésia. Encorajada por um médico, ela começa a escrever um diário para ajudá-la a reconstruir suas memórias, mas ela acaba descobrindo que a única pessoa em quem confia, talvez esteja contando apenas parte da história. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Legendado: 13h40, 15h50, 18h, 20h10 (Sala 5)
____


Minúsculos 3D - O Filme
(Minuscule - La Vallée des Fourmis Perdues, 2014)
Direção: Thomas Szabo, Hélène Giraud
Produção: Philippe Delarue
Países: França, Bélgica
Gênero: Animação, Aventura, Família
Duração: 89 minutos
Distribuidor: Paris Filmes
Classificação etária: livre
Sinopse: Em uma calma clareira na floresta, os restos de um piquenique desencadeiam uma guerra impiedosa entre colônias de formigas rivais, obcecadas por um mesmo troféu: uma caixa de cubos de açúcar. Em meio à luta, uma corajosa joaninha fica amiga de uma das formigas pretas, Mandible, e tenta ajuda-lo a salvar o formigueiro da invasão dos terríveis guerreiros vermelhos, liderados pelo temível Butor. Uma jornada fantástica pelo chão da floresta. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Dublado: 14h50, 16h50 (Sala 4)
____


Busca Implacável 3
(Taken 3, 2014)
Direção: Olivier Megaton
Elenco: Liam Neeson, Maggie Grace, Famke Janssen, Forest Whitaker, Dougray Scott, Jonny Weston, Sam Spruell, Leland Orser, Jon Gries, Judi Beecher
Produção: Luc Besson
País: França
Gênero: Ação, Thriller
Duração: 109 minutos
Distribuidor: 20th Century Fox
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Liam Neeson retorna ao papel de Bryan Mills, ex-agente da CIA, cuja reconciliação com sua ex-mulher é interrompida quando ela é brutalmente assassinada. Consumido pela raiva, e considerado o responsável pelo crime, ele foge da procura implacável da CIA, do FBI e da polícia. Pela última vez, Mills deve usar `suas habilidades especiais´ para encontrar os verdadeiros assassinos, fazer justiça com as próprias mãos, e proteger a única coisa que importa para ele agora – sua filha. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Dublado: 13h20, 16h, 18h30 (Sala 2)
Legendado: 21h (Sala 2)
____


Invencível
(Unbroken, 2014)
Direção: Angelina Jolie
Elenco: Matthew Crocker, Jack O´Connell, Domhnall Gleeson, Garrett Hedlund, Takamasa Ishihara, Finn Wittrock, Jai Courtney, Maddalena Ischiale
Produção executiva: Mick Garris, Jon Jashni, Thomas Tull
Produção: Matthew Baer, Angelina Jolie, Erwin Stoff, Clayton Townsend
País: EUA
Gênero: Biografia, Drama, Guerra
Duração: 137 minutos
Distribuidor: Universal Pictures
Classificação etária: 14 anos
Sinopse: Louis Zamperini trava a maior batalha que alguém pode enfrentar: a luta pela vida. Baseado na história do atleta e veterano de guerra. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Legendado: 20h50 (Sala 1)
____


Loucas pra Casar
(Loucas pra Casar, 2013)
Direção: Roberto Santucci
Elenco: Ingrid Guimarães, Tata Werneck, Marcio Garcia, Suzana Pires, Fabiana Karla, Edmilson Filho, Guida Viana, Camilla Amado, Alice Borges, Charles Paraventi, Rogério Fróes
Produção executiva: Adriana Konig, Leonardo Edde
País: Brasil
Gênero: Comédia
Duração: 100 minutos
Distribuidor: Downtown/Paris
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Malu (Ingrid Guimarães), Lúcia (Suzana Pires) e Maria (Tatá Werneck) encontraram o homem ideal e planejam se casar. Até que elas descobrem que esse homem, na verdade, é o mesmo: Samuel (Márcio Garcia), que vinha mantendo um namoro com todas elas nos últimos anos. As três terão que decidir se vão disputar entre si pela exclusividade ou unir-se pela vingança. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Filme nacional: 13h10, 15h40, 18h10, 20h40 (Sala 6)
____


Os Pinguins de Madagascar
(The Penguins of Madagascar, 2014)
Direção: Simon J. Smith
Elenco: Vozes de: Ben Stiller, Jada Pinkett Smith, David Schwimmer, Chris Rock
Produção: Lara Breay, Tripp Hudson
País: EUA
Gênero: Ação, Animação
Duração: 92 minutos
Distribuidor: 20th Century Fox
Classificação indicativa: livre
Sinopse: Em Pinguins de Madagascar, o público vai descobrir os segredos dos mais adoráveis e misteriosos pinguins do mundo da espionagem. Capitão, Kowalski, Rico e Recruta vão ter que juntar forças com uma agência de espiões, a Vento do Norte, liderada pelo Agente Secreto (a gente até podia contar o nome dele, mas aí... você sabe) para impedir que o vilão Dr. Otavius Brine consiga dominar o mundo. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Dublado: 14h20, 16h30, 18h40 (Sala 1)
____


Uma Noite no Museu 3 - O Segredo da Tumba
(Night at the Museum: Secret of the Tomb, 2014)
Direção: Shawn Levy
Elenco: Ben Stiller, Rebel Wilson, Ben Kingsley, Robin Williams, Owen Wilson, Ricky Gervais, Dan Stevens
Produção executiva: Josh McLaglen, Mary McLaglen
Produção: Chris Columbus, Shawn Levy
País: Estados Unidos
Gênero: Aventura, Comédia, Família
Duração: 97 minutos
Distribuidor: 20th Century Fox
Classificação etária: livre
Sinopse: Prepare-se para a noite mais louca e mais aventureira já passada em um museu quando Larry (Ben Stiller) une seus já conhecidos personagens com novas figuras ao embarcar em uma épica jornada para salvar a magia antes que ela esteja perdida para sempre. (para assistir ao trailer, clique aqui)

Dublado: 13h, 15h, 17h10, 19h20 (Sala 3)
Legendado: 21h30 (Sala 3)
____


Êxodo: Deuses e Reis
(Exodus: Gods and Kings, 2014)
Direção: Ridley Scott
Elenco: Christian Bale, Aaron Paul, Ben Kingsley, Joel Edgerton, Sigourney Weaver, John Turturro, Indira Varma, María Valverde, Emun Elliott, Golshifteh Farahani
Produção: Ridley Scott, Peter Chernin, Mark Huffam, Michael Schaefer, Jenno Topping
Países: Inglaterra, EUA
Gênero: Ação, Aventura, Drama, Épico
Duração: 150 minutos
Distribuidor: 20th Century Fox
Classificação etária: 14 anos
Sinopse: Do aclamado diretor Ridley Scott (Gladiador, Prometheus) chega aos cinemas a aventura épica Êxodo: Deuses e Reis, uma história sobre a coragem de um homem para derrubar o líder de um império. Usando efeitos 3D de imersão, Scott traz à vida a batalha entre Moisés (Christian Bale), no momento em que ele ascende contra o faraó Ramsés (Joel Edgerton), levando 400 mil escravos a uma jornada monumental para escapar do Egito e das pragas que o aterrorizam. (para assistir ao trailer, clique aqui)


Legendado: 18h50, 21h50 (Sala 4)
______________________________


Ingresso:
Valores Inteiros (exceto Sala 3D Digital):
Segunda, terça e quarta (exceto feriado e véspera de feriado): R$11,00 (o dia todo)
De quinta a domingo (e feriado): R$ 15,00

Valores Inteiros para a Sala 3D Digital:
Segunda, terça e quarta (exceto feriado e véspera de feriado): R$15,00 (o dia todo)
De quinta a domingo (e feriado): R$20,00.

No Cinema do Cariri Garden Shopping (Juazeiro do Norte-CE)
Site Orient Cinemas: http://www.orientcinemas.com.br/

Programação sujeita a alterações.

.

Jackson Bantim



por Márcio Silvestre

Jackson Oliveira Bantim, popularmente conhecido como “Bola”, é um diretor de cinema da região do Cariri cearense. Trabalha há mais de quarenta anos com cinema e herdou o gosto pela sétima arte do seu bisavô, Luiz Gonzaga de Oliveira, conhecido como Gozaguinha, que era fotógrafo profissional, ator de teatro e exibidor de filmes, e atuou nessas áreas entre 1885 e 1930, na cidade de Crato. Bola já foi de «assistente do assistente de direção» a diretor de filmes e compartilhou com a equipe da Revista Sétima um pouco das suas experiências.

Desde os anos 70, ainda em super 8 (cartuchos de 3 minutos) tentava suas primeiras filmagens, ao lado de amigos como Luiz Carlos Salatiel e Rosemberg Cariry. Depois de filmados os cartuchos eram mandados para o Rio de Janeiro, onde eram revelados. Após um mês eles os recebiam de volta e só então sabiam se a filmagem tinha prestado ou não.

Bola lembrou-se de uma experiência engraçada que viveu em Santana do Cariri, quando tentava filmar com os amigos o seu primeiro documentário sobre a região:

“Meu pai tinha um Maverick, imitação de um carro americano de muito sucesso na época, que ele tinha comprado na Expocrato. Salatiel, Rosemberg e eu pegamos o carro e fomos à serra de Santana, lá chegando secamos um pouco os pneus e cavamos a areia com a enxada para ajeitar a estrada. Rosemberg empurrava o carro enquanto eu ficava em cima com a câmera filmando a região. Na volta, ao colocar o equipamento no carro não deu muito certo, tivemos que pegar uma bomba em Assaré para encher os pneus e voltar para casa”.

Depois dessas experiências autônomas, recebeu um convite de Jefferson de Albuquerque (cineasta cratense que na época tinha acabado de chegar do Rio de Janeiro, onde foi diretor de arte do filme Eles Não Usam Black-tie) para ser ajudante do filme O Padre Cícero, do diretor Helder Martins (primeiro cineasta cratense a trabalhar com filmes em 35 milímetros). Helder Martins deu a Bola a função de Assistente do Assistente de Direção. “Essa foi minha primeira participação em um filme de grande repercussão. O cargo não era lá essas coisas, mas eu estava lá”, comenta Bola.

O filme O Padre Cícero contava com um elenco global, entre eles estavam Jofre Soares e Cristina Aché, foi gravado em várias cidades da região, mas a maior parte foi em Rosário. “Inclusive muitas pessoas morreram de ódio dessa equipe de cinema e do governador César Cals, na época, que mandou tirar todos os postes da cidade para simbolizar o Juazeiro Antigo. Após dois meses todos foram embora e a cidade ficou mais seis meses sem energia, ninguém podia mais passar por lá, que diziam ‘lá vem os caras do filme, pega eles’, foi então que os jornais começaram a falar e o governador pôs os postes de volta”, lembrou-se Bola.

Dentre outros trabalhos no cinema, Bola foi produtor em Músicos Camponeses, de Jefferson Albuquerque Jr.; Lua Cambará, de Ronaldo Correia de Brito (primeira versão de 1977/78); e Lua Cambará, de Rosemberg Cariry.

Como diretor, Bola preza por colocar aspectos do Cariri em seus filmes. Em As Sete Almas Santas Vaqueiras ele valorizou a parte histórica, pesquisando sobre os relatos das famílias caririenses do pé-de-serra que acreditavam nas graças obtidas através da oração às almas vaqueiras. Já no filme Patativa procurou mostrar o Antônio Gonçalves da Silva, seu amigo, pois teve com ele uma amizade de 30 anos, não queria mostrar somente o poeta que todos conheciam.

Perguntamos sobre o seu próximo trabalho, o filme Asa Nordestina, e ele disse que já está em processo de filmagem e que trabalhará a questão das lendas e histórias da região, usando a xilogravura como apoio. 
____


Márcio Silvestre é ator/professor de teatro. Trabalha com artes cênicas desde 2004, tem registro no sindicato dos artistas e técnicos em espetáculos de diversão (SATED-CE) e leciona teatro em escolas desde 2009. Atualmente graduando em jornalismo pela UFCA.

Texto originalmente publicado na SÉTIMA: Revista de Cinema (edição 16, de 12 de fevereiro de 2014), que é distribuída gratuitamente na Região do Cariri cearense. A Revista Sétima é uma publicação do Grupo de Estudos Sétima de Cinema, que se reúne semanalmente no SESC de Juazeiro do Norte-CE.

.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Encenações do espetáculo 'O Menino e Seu Estilingue' em Juazeiro



"Todos os dias o menino José sai pela floresta com seu estilingue para caçar tudo o que vê pela frente. Ele só não consegue pegar o coelho espertalhão Ludovik. Em uma dessas investidas, José acaba indo parar no lado sombrio da floresta, onde mora o bruxo Ravengar, surgindo, a partir daí, uma inesperada aventura com muita bravura, respeito, amizade e consciência ambiental." (sinopse da divulgação do evento)

Espetáculo teatral O Menino e Seu Estilingue
Cia Beradeiros Em Cena (Sousa-PB)
Direção: Edicarlos Sobreira
Dias 24 e 31 de janeiro de 2015 (sábados), 15h
No Centro Cultural Banco do Nordeste - CCBNB Cariri (Juazeiro do Norte-CE)
Entrada gratuita.

.

Quantas vidas cabem numa semana?



por Harlon Homem de Lacerda

Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister (São Paulo: Editora 34, 2009) de Goethe é um livro paradigmático. Schlegel e Hegel fazem menção a este texto logo depois de sua publicação no final do século XVIII. Outros importantes pensadores da literatura, como Georg Lukács e Mikhail Bakhtin, acentuam a importância deste romance para a literatura ocidental e colocam tanto Goethe como seu romance entre os melhores.

Não direi nenhuma novidade sobre o Meister, antes direi que ele é a novidade. A construção do enredo, os conflitos que se estabelecem entre as personagens, as caracterizações elaboradas pelo narrador, as questões morais e humanas que se colocam e são colocadas ao longo da narrativa, a proposta de formação (bild) que transcende a metáfora e ganha materialidade dentro da trama são características que impedem uma crítica superficial. É lendo Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister que é possível compreender as nuances ideológicas e estéticas, tão louvadas pelos críticos nos últimos duzentos e poucos anos.

A fim de mera demonstração coloco um trecho do romance que pode nos fazer refletir: “Tão propenso anda o homem a dedicar-se ao que há de mais vulgar, com tanta facilidade se lhe embotam o espírito e os sentidos para as impressões do belo e do perfeito, que por todos os meios deveríamos conservar em nós essa faculdade de sentir. Pois não há quem possa passar completamente sem um prazer como esse, e só a falta de costume de desfrutar algo de bom é a causa de muitos homens encontrarem prazer no frívolo e no insulso, contanto que seja novo. Deveríamos - dizia ele - diariamente ouvir ao menos uma pequena canção, ler um belo poema, admirar um quadro magnífico, e, se possível, pronunciar algumas palavras sensatas” (p. 278-9).

Esta fala é de Serlo, o dono de uma companhia teatral da qual Meister faz parte durante algum tempo. Este trecho destaca um comportamento, uma ideia de funcionalidade da arte, do belo, que se perdeu há muito tempo em nossa sociedade. É hoje possível pensar no caráter formativo da arte numa perspectiva de melhorar as pessoas e, consequentemente, o mundo? Ouvi, dia desses, uma “artista” dizer que a arte não muda o mundo, o mundo muda sozinho. Meister não agia assim, Goethe provavelmente também não. E nós? Como está nossa formação? Como se realizam nossos anos de aprendizado? Estas foram algumas das perguntas e provocações com as quais me defrontei ao “dialogar” com as muitas páginas deste romance.

Escrevo este texto ainda com as ideias do Meister rondando minha cabeça. Ainda não posso, certamente, dar uma palavra final a respeito do que presenciei de uma Alemanha em transformação, de uma burguesia nascente, de uma nobreza ainda forte, de encontros e desencontros notadamente marcados pela mão do destino, mas que é profundamente prescindido pela decisão e ação do homem e da mulher que tece seu próprio caminho. O que posso dizer, seguro, entretanto, é que Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister está na ordem do dia, está no centro das discussões de uma sociedade que se vê diante de casos extremos de escolha de um lado certo, bom e justo ou de um lado humano, humanista em essência.

Muitas vidas desfilaram em minha mente durante esta semana: Mariane, Philine, Mignon, Serlo, Aurelie, Therese, Wilhelm Meister, Werner... todas diferentes, todas importantes, todas humanas por excelência. Goethe nos oferece um mundo novo, constante e permanentemente novo desde que apresentou este romance. Em suma, um livro essencial.
____

Harlon Homem de Lacerda é Mestre em Letras pela UFPB e Professor de Literatura Brasileira da Universidade Estadual do Piauí (UESPI - Oeiras). E-mail: harlon.lacerda@gmail.com.

.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Programação da 2ª semana da Mostra 21 - O Desejo Aguça com o Olhar



Mostra 21 - O Desejo Aguça com o Olhar
De 12 de janeiro a 01 de fevereiro de 2015

Programação da segunda semana (de 19 a 25 de janeiro de 2015)
Entrada gratuita.
____


19 de janeiro de 2015 (seg), 19h, SESC Crato:
UM ESTRANHO NO LAGO (L’inconnu du lac, Dir. Alain Guiraudie, França, 2013, 92min)

Em pleno verão, um lago é usado como praia nudista. Os frequentadores sentem-se à vontade no local e usam o bosque ao lado do lago para ter relações sexuais.


20 de janeiro (ter), 19h, SESC Crato:
O QUE EU MAIS DESEJO (Kiseki, Dir. Hirokazu Koreeda, Japão, 2011, 128min)

O anúncio da construção de uma linha de trem ‘bala’ ligando duas cidades enche o garoto Koichi de esperança e o faz acreditar que a chegada do trem irá reunir sua família mais uma vez.


21 de janeiro (qua), 14h, SESC Juazeiro do Norte:
BARRY LYNDON (Barry Lyndon, Dir. Stanley Kubrick, Reino Unido, 1975, 184min)

As aventuras de um irlandês que, expulso de seu país, tem por objetivo alcançar a aristocracia e conquistar a felicidade, jogando, duelando e utilizando a arma da sedução.


21 de janeiro (qua), 19h, SESC Juazeiro do Norte:
CLUBE DE COMPRAS DALLAS (Dallas buyers club, Dir. Jean-Marc Vallée, EUA, 2013, 117min)

A trajetória do eletricista Ron Woodroof, que iniciou uma batalha de vida ou morte contra a classe médica e as companhias farmacêuticas.


22 de janeiro (qui), 19h, SESC Crato:
AMOR (Amour, Dir. Michael Haneke, Alemanha/Áustria/França, 2012, 125min)

Georges e Anne estão na faixa dos oitenta anos. Ambos são professores de música aposentados. Sua filha, que também é musicista, mora no exterior com sua família. Um dia o vínculo amoroso do casal será severamente testado.


23 de janeiro (sex), 19h, SESC Crato:
VIOLETTE (Violette, Dir. Martin Provost, Bélgica/França, 2013, 132min)

Violette Leduc encontra Simone de Beauvoir em Paris nos anos que precedem a Guerra. Começa assim uma relação intensa entre as duas mulheres. Uma relação baseada na busca pela liberdade e pela escrita, por parte de Violette, e na convicção de Simone de ter nas mãos o destino de uma escritora fora do normal.


24 de janeiro (sáb), 13h30, CCBNB Cariri:
Sessão encoberta: apenas na hora da exibição o filme será revelado.
Os 20 primeiros espectadores ganham o direito de permanecer na sala para a sessão seguinte.


24 de janeiro (sáb), 17h30, CCBNB Cariri:
PRAIA DO FUTURO (Praia do Futuro, Dir. Karim Ainouz, Brasil, 2014, 106min)

O salva-vidas cearense Donato resgata o turista alemão Konrad, na praia do Futuro, em Fortaleza. Em seguida, ambos vão para Berlim.


25 de janeiro (dom), 19h, SESC Crato:
A GRANDE BELEZA (La grande bellezza, Dir. Paolo Sorrentino, Itália, 2013, 150min)

Em Roma, durante o verão, o escritor Jap Gambardella reflete sobre sua vida. Ele tem 65 anos de idade, e desde o grande sucesso do romance O Aparelho Humano, escrito décadas atrás, ele não concluiu nenhum outro livro.

.