sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

‘Tudo o Que o Céu Permite’, filme de Douglas Sirk, no Cine Café



Cine Café do CCBNB Cariri (com mediação de Elvis Pinheiro)
Exibição do filme Tudo o Que o Céu Permite
Ficha técnica:
Título original: All That Heaven Allows
Direção: Douglas Sirk
Roteiro: Edna Lee, Harry Lee, Peg Fenwick
Elenco: Jane Wyman, Rock Hudson, Agnes Moorehead, Conrad Nagel, Virginia Grey, Gloria Talbott, William Reynolds, Jacqueline De Wit, Charles Drake, Leigh Snowden, Merry Anders
Duração: 89 minutos
Ano: 1955
País de origem: Estados Unidos

“Cary Scott é uma respeitável viúva da alta classe média, que se sente frustrada mas reencontra o amor ao se apaixonar por Ron Kirby, seu jardineiro.” (sinopse da divulgação do evento)

Exibição no sábado, 20 de janeiro de 2018, às 17h30
No Centro Cultural Banco do Nordeste Cariri (Juazeiro do Norte). Entrada gratuita.

.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Diante do meu amor pelo cinema



por Samuel Macêdo do Nascimento

No início de 2011 comecei a frequentar, assiduamente, as sessões do Cine Café que até hoje são organizadas e mediadas por Elvis Pinheiro. A partir dessa experiência, passo a me relacionar com o cinema de uma forma mais crítica. Um tempo depois, ano 2012, eu e Adriana Botelho (amiga-mãe), criamos e desenvolvemos o projeto Cine Arte Clube, que exibia curtas na região do Cariri, promovendo debates e seminários sobre as temáticas do audiovisual. Convidamos Ythallo Rodrigues e Elvis Pinheiro, futuros companheiros de grupo, para participarem das primeiras ações do projeto.

No mesmo dia da exibição do filme de Ythallo, Elvis me contou sobre a ideia de criar um grupo de estudos de cinema. Naquela noite passamos em algumas salas da então Universidade Federal do Ceará, campus do Cariri, convidando pessoas para aparecerem na reunião de estreia do grupo. Quarta-feira foi o dia escolhido para os encontros e na época eu cursava, na graduação, uma disciplina de Cinema Brasileiro que acontecia justamente nas quartas e por alguns meses fiquei alternando entre aulas e reuniões. Durante algum tempo não conseguia encontrar maneiras de conexões espontâneas com as pessoas que estavam no Grupo de Estudos, por uma questão óbvia: pessoas diferentes, de idades e formações distintas.

As relações começaram a ficar intensas e quando começamos a estudar livros do campo dos estudos de cinema, me vi obrigado a assumir uma postura mais disciplinada. Era necessário assumir um compromisso. Esse momento foi um divisor, fora e dentro do grupo. Estabelecido, o Grupo de Estudos Sétima de Cinema passa a discutir obras de teóricos importantes e isso fortaleceu não apenas a nossa observação enquanto espectadores, mas como pessoas que podiam pensar e escrever sobre cinema de forma fundamentada.

Os vínculos que até então eram sementes, brotavam e tornavam-se cada vez mais fortes. Nesses cinco anos aprendi, e continuo aprendendo, a lidar com as diferenças. Passei a confiar em pessoas estranhas, desobedecendo ao conselho mais primordial da infância. Vivi emoções diferentes, incluindo as surpresas das coincidências. Dois anos após ter sido apresentado ao teórico Robert Stam, dentro do Grupo, eu faria um curso presencial com o professor Stam, cara a cara.

Não sei como descrever o meu quarto porque estou dentro dele e estando dentro dele não posso hierarquizar sentimentos, lembranças, cores, cenas e experiências. Tenho a mesma sensação quando ouso dizer o que é o Grupo de Cinema de Estudos Sétima. Transpor sensações íntimas para o campo da linguagem é um trabalho árduo porque quase nunca conseguimos contemplar tantas histórias e sentimentos.

O meu amor pelo cinema foi mediado, como um namoro antigo que acontecia na sala da casa, geralmente tutelado pela presença de familiares. No nosso caso eram muitos olhares dentro de um espaço onde aconteciam reuniões, debates e conflitos que fortaleceram o nosso saber, não apenas sobre o cinema, mas sobre pessoas. Todos os integrantes do Grupo de Estudos compartilharam seus dons e isso jamais poderá ser apagado. Apesar de ser apenas cinco anos de história, tenho a impressão de que O Tempo, senhor de todas as coisas, alargou o tecido da nossa experiência.
____


Samuel Macêdo do Nascimento é formado em Comunicação Social (Jornalismo), Mestre em Cultura e Sociedade e membro do Grupo de Pesquisa em Cultura e Sexualidade.

Texto originalmente publicado na SÉTIMA: Revista de Cinema (edição 40, de maio de 2017), que é distribuída gratuitamente na Região do Cariri cearense. A Revista Sétima é uma publicação do Grupo de Estudos Sétima de Cinema, que se reúne semanalmente no SESC de Juazeiro do Norte-CE.

Textos recentes da Revista Sétima postados no Blog O Berro:
- O absurdo nosso de cada dia: as mulheres na Mostra 21 de 2017
- Meu romance com o cinema ou não era cilada, era amor
- Uma história: aniversário dos cinco anos do Grupo de Estudos Sétima de Cinema
- Longe deste insensato mundo
- Relato de viagem durante a IX Janela Internacional de Cinema do Recife
- ‘O Leitor’, filme de Stephen Daldry (2008): resenha crítica
- Meus 10 melhores filmes de todos os tempos, por Samuel Macêdo do Nascimento
- Na escuridão, te dedico. Sobre O Paciente Inglês

.

Banda Algarobas realiza show em Crato



“Algarobas: a banda, que surgiu há 4 anos e já prepara seu segundo CD, pretende levar ao público músicas novas e também de seu primeiro trabalho, intitulado A estrada é longa e o caminho é deserto. Classificada pelo guitarrista Daniel Batata como uma banda que tem influências do rock progressivo e do post-rock, Algarobas mistura poesia e cinema em show com muita música experimental. O nome escolhido pela banda retrata uma árvore típica do sertão, assim como uma gíria popular do interior cearense que significa uma lorota. Assim, os quatro rapazes que dão corpo e som à Algarobas prometem um show rico em musicalidade e poesia na apresentação do Sesc.” (sinopse da divulgação do evento)
_

Sesc Sonoridades
Show com a banda Algarobas
Sexta-feira, 19 de janeiro de 2018, às 19h30
No Teatro Adalberto Vamozi (Rua André Cartaxo, 443, Crato-CE)
Sesc Crato
Entrada gratuita.

.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

DOC Cariri - Curso de Cinema Documentário: abertas inscrições para seleção de curso em Juazeiro do Norte



O DOC Cariri: formação em história, linguagem e prática do documentário é um projeto de Curso em Audiovisual realizado pela produtora Débora Costa, junto à Filmes de Alvenaria, com apoio cultural da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará - SECULT-CE, através do XII Edital Ceará de Cinema e Vídeo.

As aulas acontecerão em Juazeiro do Norte durante 12 semanas, com aulas gratuitas, no período noturno. Serão 240h/a de carga horária total (entre módulos teóricos e práticos), com certificação oferecida aos participantes com o mínimo de 75% de assiduidade nas aulas. Cada módulo semanal será ministrado por professores locais e de fora do Cariri, com intenso e reconhecido trabalho voltado ao audiovisual e ao Cinema Documentário.

Módulos:
Introdução à Linguagem Cinematográfica
Introdução ao Documentário: estéticas e histórias
Documentário no Brasil
Ateliê: Cartografias Urbanas - Aproximativa
Ateliê: Cartografias Urbanas - Realização
Introdução à Câmera de Vídeo
Som no Audiovisual
Ateliê: Arquivos Móveis - Aproximativa
Ateliê: Arquivos Móveis - Realização
Processos de Montagem em Audiovisual
Ateliê: Imagens que Resistem - Aproximativa
Ateliê: Imagens que Resistem - Realização

CURSO DOC CARIRI: formação em história, linguagem e prática do documentário
Inscrições gratuitas: 17 de janeiro a 09 de fevereiro de 2018
Resultado da seleção: 15 de fevereiro de 2018
Início das aulas: 26 de fevereiro de 2018
Vagas limitadas 

Inscrição online: https://goo.gl/jQDUaf
Mais informações: doc.cariri@gmail.com

O curso será gratuito e acontecerá de segunda a sexta, entre 18 e 22h, no Espaço DOC Cariri, na rua Delmiro Gouveia, 511 - Centro - Juazeiro do Norte-CE.

.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

1ª Mostra Poemas para Maria: lançamento de livro em homenagem à Beata Maria de Araújo



1ª Mostra Poemas para Maria
Publicação e lançamento do livro em homenagem à Beata Maria de Araújo
Dia 17 de janeiro de 2018, às 19h
No Memorial Padre Cícero
Juazeiro do Norte-CE
Entrada gratuita.

.

Manifesto à consagração: a Santa do Padre Cícero, a Santa do Juazeiro



Artistas de folguedos populares de Juazeiro do Norte se unem e lançam manifesto, buscando realizar um desejo do Padre Cícero:


Manifesto à consagração: a Santa do Padre Cícero, a Santa do Juazeiro

Este manifesto deseja recordar um fato que se tentou apagar da história de Juazeiro do Norte: a existência da Santa Beata Maria de Araújo e dos milagres de Juazeiro, sobre os quais a Igreja Católica proibiu qualquer menção na época em que ocorreram, sob pena de excomunhão, entre outras ameaças.

Este manifesto deseja que a Igreja Católica se pronuncie sobre a violação do túmulo da Santa Beata, contrariando o desejo de Padre Cícero que pediu que seu túmulo fosse exposto em local aberto à visitação pública. Foi o próprio Padre Cícero, aos 86 anos, quem registrou o desaparecimento do corpo em auto lavrado em cartório em 03 de dezembro de 1930.

“Neste vidro, devidamente lacrado, se acha tudo que encontrou-se nos despojos mortais da Beata Maria de Araújo, quando em 22.10.1930, foi o seu túmulo aberto clandestinamente por ordem do Revdm° Vigário dessa cidade Monsenhor José Alves de Lima.”

Este manifesto deseja conclamar as pessoas leigas, da Igreja e de toda a sociedade a se unirem, a conversarem e a se posicionarem frente a essas questões.

Nosso Padrinho pediu que se providenciasse um enterro para Beata Maria de Araújo “Na capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, de acordo com a sua importância.”

Desejamos saber: onde estão os restos mortais da Beata Maria de Araújo?

Desejamos que o pedido do Pe. Cícero seja realizado, retornando as relíquias à exposição pública para trazer a Beata Maria de Araújo de volta à luz da história.

Desejamos que a reconciliação da Igreja Católica com o Pe. Cícero represente também a reconciliação com a Santa Beata Maria de Araújo.

Acreditamos que a visão da Beata Maria de Araújo: “Juazeiro é a cidade onde os pecadores irão se redimir e os justos perseverar”, ilumina as ações e o caminho que conduzem à vida, vida em abundância.

Conclamamos a todos que têm consciência que a Beata pode representar cada mulher deste país, cada negra, cada pobre, cada analfabeta e, também os homens e crianças, pobres, negros e analfabetos, a se unirem e caminharem conosco, de corações e abraços abertos nessa jornada em busca de justiça em respeito à Santa Beata Maria de Araújo e ao Santo Padre Cícero Romão Batista. Devotos e devotas, cidadãos de fé e trabalho, povo simples que luta e acredita no amor e na justiça.
_

Caminhada:
Dia 17 de janeiro de 2018, com início às 8h30
Concentração: Praça da Bíblia, às 7h
Destino: Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
Juazeiro do Norte-CE.
____

Outras postagens do blog O Berro relacionadas à Beata Maria de Araújo:
- ‘A Beata Maria de Araújo’, por Padre Azarias Sobreira
- Beata Maria de Araújo no livro ‘Efemérides do Cariri’ (Irineu Pinheiro)
- 'Milagre do Padre Cícero e Maria de Araújo', cordel de Severino do Horto
- Centenário de morte da Beata Maria de Araújo: 17 de janeiro de 1914-2014
- Beata Maria de Araújo e Padre Cícero em matéria do Fantástico (1997)
- "Procura-se" Beata Maria de Araújo
- Ilustração e poema sobre a Beata Maria de Araújo
- 122 anos de romarias em Juazeiro do Norte

- Beata Maria de Araújo por Raimundo Araújo, no livro 'Mulheres de Juazeiro'

.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Junu apresenta show Toadas Digitais em Juazeiro do Norte e Nova Olinda



“Natural da região do Cariri-CE, o brincante, compositor, cantor e instrumentista Junu (Geraldo Júnior) desenvolve um trabalho de música, dança e performance, assimilando diversas influências e linguagens que transitam livremente entre o tradicional e o contemporâneo.” (sinopse da divulgação do evento)
_

Junu
Show Toadas Digitais
Eventos com entrada gratuita

Sábado, 13 de janeiro de 2018, às 19h30:
No Centro Cultural Bando do Nordeste - CCBNB Cariri
Juazeiro do Norte-CE

Domingo, 14 de janeiro de 2018, às 19h:
Na Fundação Casa Grande
Nova Olinda-CE.

.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

‘Julie & Julia’, filme de Nora Ephron, em exibição no Cine Café



Cine Café do CCBNB Cariri (com mediação de Elvis Pinheiro)
Exibição do filme Julie & Julia
Ficha técnica:
Título original: Julie & Julia
Direção e roteiro: Nora Ephron, Julie Powell
Elenco: Meryl Streep, Amy Adams, Stanley Tucci, Chris Messina, Linda Emond, Helen Carey, Jane Lynch, Mary Lynn Rajskub, Joan Juliet Buck, Amanda Hesser
Duração: 123 minutos
Ano: 2009
País de origem: Estados Unidos

“Este filme possui direção feminina e no seu elenco duas atrizes que já atuaram juntas em Dúvida. Um filme baseado em fatos reais, que emociona, diverte e deixa as pessoas felizes pelo que uma geração pode dar a outra.” (sinopse da divulgação do evento)

Exibição no sábado, 13 de janeiro de 2018, às 17h30
No Centro Cultural Banco do Nordeste Cariri (Juazeiro do Norte). Entrada gratuita.

.

Pra Se Mostrar no Cariri II: show com as bandas Cômodo Marfim, Os Gramofones e Zero Grau de Libra



“Dia 13 de janeiro teremos a segunda edição do Festival de Bandas ‘Pra se Mostrar no Cariri’ trazendo a banda Cômodo Marfim, com seu primeiro disco gravado, A cabeça estendida na viga do braço. O show também contemplará músicas inéditas que farão parte do segundo disco da banda. Mais duas atração de peso no evento: Os Gramofones, que estão gravando seu primeiro disco, e a banda Zero Grau de Libra. Teremos também a barraca do grupo de cinema SÉTIMA, mais uma vez compondo a ambientação do evento e nos brindando com o gostinho da arte cinematográfica. Teremos ainda as comidinhas típicas dessa nossa região abençoada.

Convidamos todos a comparecer e ver a segunda edição desse evento, que promove os talentos da nossa região. Serão três bandas numa noite de festa repleta de boa música.” (sinopse da divulgação do evento)
_

Pra Se Mostrar no Cariri II
Show com as bandas Cômodo Marfim, Os Gramofones e Zero Grau de Libra
Sábado, 13 de janeiro de 2018, a partir das 22h
No Raul Rock Bar & Café (Av. Virgílio Távora, 950, Aeroporto)
Juazeiro do Norte-CE
Ingresso: R$8,00 (antecipado); R$12,00 (presencial); R$10,00 (estudante).

.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Exposição fotográfica ‘Corpo Poema’ em Juazeiro: reflexões sobre o corpo feminino e o feminismo



“Batom, lápis de olho e delineador são os pincéis para escrever no corpo versos de um poema. Ao unir literatura e fotografia, a exposição fotográfica Corpo Poema abre as portas para a reflexão sobre o corpo feminino e o feminismo. O lançamento será nesta sexta-feira (12), às 18h, na Galeria 5º B do CCBNB Cariri.” (sinopse da divulgação do evento)
_

Exposição Fotográfica Corpo - Poema
Abertura no dia 12 de janeiro de 2018, às 18h
Na Galeria 5º B - Centro Cultural Banco do Nordeste - CCBNB Cariri
Juazeiro do Norte-CE
Entrada gratuita.

.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Feira Cariri Criativo de janeiro de 2018



Feira Cariri Criativo
De 11 a 13 de janeiro de 2018, das 18h às 22h
Na RFFSA (Crato-CE)
Gratuito.

Programação:

11/01 (quinta-feira):
18h às 20h: Oficina - Projeto Abayomi: Annela Fyama
18h às 20h: Discotecagem - Vamille Furtado
20h: Lançamento - Revista Narrativas Visuais: Paulo Bruno
20h às 22h: Discotecagem - Diego Moreira
*Poema na Feira - Coletivo Camaradas

12/01 (sexta-feira):
18h às 20h: Teatro de caixa - Projeto Abayomi: Annela Fyama
18h às 20h: Discotecagem - Pâmela Queiroz
20h: Show - Trio Patativa
*Poema na Feira - Microfone livre

13/01 (sábado):
18h: Cine Arte Clube - Filme: Farinhada na Malhada
18h: Teatro de caixa - Projeto Abayomi: Annela Fyama
18h30 às 20h30: Discotecagem
20h30: Show - Vai Acordar o Pivete
*Poema na Feira - Microfone livre.

.

sábado, 6 de janeiro de 2018

As antigas Festas de Reis em Juazeiro do Norte, por Senhorzinho Ribeiro



Abaixo compartilhamos um texto do livro Juazeiro em corpo e alma, de Senhorzinho Ribeiro, publicado em 1992. O capítulo, intitulado “Festa de Reis em Juazeiro”, apresenta lembranças do autor relacionadas às antigas comemorações da Festa de Reis em Juazeiro do Norte, ainda no tempo do Padre Cícero Romão Batista.


Festa de Reis em Juazeiro

“A maior festa de Juazeiro, antigamente, acontecia no Dia de Reis. Na véspera, no local da hoje Praça Padre Cícero, colocavam bancas de jogo de toda espécie. Nessa época, era permitido se jogar durante as festas de fim de ano, como Dia de Reis, Natal, no Ano Novo, etc. Passada aquela fase de festa, não se jogava mais. Era proibido.

Durante a Festa de Reis, principalmente, comia-se muito arroz doce, canjica, bolo de milho, pé-de-moleque, bolo de batata, doce seco, etc. Eram comidas típicas. O povo amanhecia o dia nas ruas. O local das festas, que era um quadro muito grande, por isso chamavam de Quadro Grande, permanecia enfeitado de palha de palmeira, de pés de bananeira, formando uma espécie de ‘quinta’, rodeando o quadro.

No centro do quadro se fazia um trono, e nele se colocava uma menina loura de mais ou menos cinco anos de idade, ou seis mesmo, em traje de rainha, a fim de ser disputada pelos reis dos negros e dos caboclos. Eram dois reisados, os chamados ‘quilambos’, a dança antiga dos negros.

O juazeirense Cícero Boneca era o rei dos negros e Olímpio, seu irmão, era o rei dos caboclos. De espadas em punho, ambos disputavam a posse da rainha. Era uma contenda bonita. Geralmente durava o dia todo e entrava pela boquinha da noite. Quando acontecia da luta terminar cedo, eles tentavam vender a rainha às pessoas ricas e de destaque. Quem primeiro comprava a rainha era o Cel. Antônio Fernandes, um usineiro de Alagoas.

Antes de fixar residência aqui em Juazeiro, o Cel. Antônio Fernandes não era amigo do Padre Cícero. Não acreditava no Padre Cícero. Diziam que ele era contra o Padre Cícero. Mas depois que fixou residência definitiva no sobrado que foi de propriedade do Sr. José André, passou a ser um dos maiores devotos do Padre Cícero. Quando para aqui veio, já era casado. Com o falecimento da primeira mulher, casou-se pela segunda vez com uma moça de nome Sinhá. Do primeiro casamento teve mais de um filho, e do segundo somente um , de nome Antônio. O Cel. Antônio Fernandes construiu o próprio túmulo, em vida. Acha-se sepultado nos fundos da Igreja de Nossa Senhora do Socorro.

Depois da venda da rainha os reis saíam dançando pelas ruas, passavam pelas casas do povo que apreciava aquela brincadeira, e nisso, a brincadeira se estendia até a noite.

As lapinhas também eram muito animadas, principalmente as organizadas pelas Beatas Bichinha e Angélica, e também por Antônia Morena. As queimações destas lapinhas era uma verdadeira festa. Eram queimadas uma por uma até terminar.

Nesse tempo não tínhamos energia elétrica, mas os festejos eram comemorados à noite, à luz dos lampiões.

Como também não existiam ainda refrigerantes, as famílias se contentavam com o aluá de abacaxi fabricado por Pedro Coutinho e com o caldo de cana de seu Chaves, temperado com bicarbonato.

Uma família que morava na Rua Padre Cícero, juntava-se a um barbeiro de nome Manoel Passos, que morava na antiga Rua São João, hoje Alencar Peixoto, e durante as Festas de Reis, preparavam uma passeata composta de cidadãos vestidos de branco e formavam um ‘pé de dinheiro’, uma espécie de árvore de Natal, sem folha. No local das folhas eram colocadas notas bem novinhas de 10 mil-réis. Convidavam a Banda de Música e desciam em desfile, até a casa do Padre Cícero para fazer-lhe presente do ‘pé de dinheiro’, Quando lá chegavam, o Padre abençoava a todos e desejava-lhes um Ano-Novo de paz e de saúde.

Assim eram as Festas de Reis, Natal, etc., em Juazeiro do Norte. Eram bem diferentes de hoje. Quando das Festas de Reis de antigamente, não se trabalhava. Era dia santo. A roupa branca simbolizava a referida festa. Até pouco tempo atrás, existia uma festa de clube, que depois se tornou tradicional. Era a ‘Festa Branca’ do Treze, salvo engano, criação e organização do saudoso Mascote. Essa festa realizava-se aos dias seis de janeiro de cada ano, e só era permitido entrar no clube quem tivesse trajado de branco, tanto homem como mulher. Hoje só restam recordações de um passado que não volta mais.”
__

Senhorzinho Ribeiro, no livro Juazeiro em Corpo e Alma (Gráfica Royal, 1992).

Outro texto do livro Juazeiro em Corpo e Alma, de Senhorzinho Ribeiro, no blog O Berro:
- Os primeiros cinemas de Juazeiro do Norte, por Senhorzinho Ribeiro

.

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

‘Capitalismo: Uma História de Amor’, filme de Michael Moore, no Cine Café



Cine Café do CCBNB Cariri (com mediação de Elvis Pinheiro)
Exibição do filme Capitalismo: Uma História de Amor
Ficha técnica:
Título original: Capitalism: A Love Story
Direção e roteiro: Michael Moore
Elenco: William K. Black, Elijah Cummings, Warren Evans, Thomas Gumbleton, Baron Hill, Marcy Kaptur, Stephen Moore, Bernie Sanders
Duração: 127 minutos
Ano: 2009
País de origem: Estados Unidos

“Seguindo seu habitual estilo polêmico, o cineasta Michael Moore volta-se para a grande crise econômica que abalou os mercados mundiais ao final de 2008, provocando a quebra de instituições financeiras e a falência não só de empresas, como de pessoas físicas.” (sinopse da divulgação do evento)

Exibição no sábado, 06 de janeiro de 2018, às 17h30
No Centro Cultural Banco do Nordeste Cariri (Juazeiro do Norte). Entrada gratuita.

.

Cortejo do Dia de Reis no centro comercial de Juazeiro do Norte



“O Maior Reinado da Cultura Popular mais uma vez leva para as ruas de Juazeiro do Norte o Cortejo de Mestres e brincantes que encantou o Cariri no dia 22 de dezembro de 2017. Dessa vez, a data é por demais significativa! Depois de 12 dias de Terreiradas e encontros memoráveis, o Cortejo do sábado celebra o Dia de Reis, levando pra a Rua São Pedro toda a tradição da nossa autêntica cultura popular e coroando essa caminhada repleta de paz, troca de conhecimento e celebração de União entre as mais diversas manifestações. Salve o Dia de Reis! Viva a Cultura Popular nordestina!” (sinopse da divulgação do evento)
_

Ciclo de Reis
Grande Cortejo do Dia de Reis
Com Grupos da Tradição Popular
Sábado, 06 de janeiro de 2018, a partir das 9h
Saindo da Praça da Prefeitura em desfile até a Praça Padre Cícero
Juazeiro do Norte-CE.

.

Sexta-feira com comemoração em homenagem ao Dia de Reis no Crato



Comemoração do Dia de Reis
Com Lapinha Mestra Zulene, Reisado Mestre Galego e Forró Na Base da Chinela
Sexta-feira, 05 de janeiro de 2018, a partir das 18h30
No Estacionamento do Sesc Crato-CE
Entrada gratuita.

.